ONU MULHERES LANÇA #USELARANJA, NOVA CAMPANHA PELO FIM DA VIOLÊNCIA DE GÊNERO

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Email -- 0 Flares ×

“Todo dia 25, eu uso a cor laranja pelo fim da violência contra as mulheres. É quando eu me uno a milhões de mulheres e homens de todo o mundo. Dia Laranja pelo Fim da Violência contra as mulheres é um momento para você fazer ações de prevenção à violência contra as mulheres em casa, na comunidade, na empresa, na escola.”

A declaração é da atriz Juliana Paes, defensora para a Prevenção e a Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres.

“Manifeste o seu apoio a essa causa e colabore para mudar a consciência das pessoas. Faça parte da campanha da ONU. Use laranja e una-se pelo fim da violência contra as mulheres”, completou.

Clique e veja o vídeo (#DiaLaranja – Todo dia 25 #UseLaranja)

Este é o primeiro de 15 vídeos que a defensora da ONU Mulheres gravou para incentivar a consciência pública sobre a violência contra as mulheres. A campanha #UseLaranja pelo fim da violência contra as mulheres é criação “pro bono” da Propeg, e os vídeos foram viabilizados pela parceria “pro bono” com a Cosmo Cine.

Os episódios serão divulgados todo dia 25, Dia Laranja, momento de mobilizações da campanha do secretário-geral da ONU “UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres”.

Os conteúdos poderão ser conferidos nas redes sociais da defensora Juliana Paes, da ONU Mulheres e da ONU Brasil.

“Além de mais informações sobre como a violência acontece e o que precisa ser feito para apoiar as vítimas, a campanha #UseLaranja chama a população brasileira para o engajamento à causa, colaborando para visibilizar o crescimento de um movimento global de prevenção e eliminação da violência machista”, afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

Os vídeos abordam: engajamento público todo dia 25 #DiaLaranja; incentivo à manifestação de apoio público às mulheres em situação de violência; apresentação do Destaque-Laranja ação da ONU Brasil para visibilizar ativistas, organizações da sociedade civil, escolas, universidades, cidades e empresas com ações concentras pelo fim da violência de gênero; como identificar e enfrentar a violência de gênero nas empresas.

Também inclui o estímulo às escolas e à comunidade escolar na promoção de ações preventivas à violência contra as mulheres; encorajamento para que as pessoas não fiquem indiferentes à violência de gênero; mensagem às mulheres em situação de violência para busca de apoio e acolhimento em serviços especializados.

Abordam ainda a descrição da violência doméstica e familiar; caracterização da violência patrimonial; defesa da liberdade das mulheres na escolha de roupas e acessórios; reforço à igualdade; vulnerabilidade das mulheres negras à violência de gênero; alerta contra estupro; caracterização da violência psicológica; e mensagem de mobilização para os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que acontecem, no Brasil, entre 20 de novembro de 10 de dezembro.

Dia Laranja
Celebrado a cada dia 25 do mês, o Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas alerta para a importância da prevenção e da resposta à violência de gênero. Sendo uma cor vibrante e otimista, o laranja representa um futuro livre de violência, convocando à mobilização todos os meses do ano no dia 25, culminando no 25 de Novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

O Dia Laranja foi proposto pela juventude latino-americana para manter a mobilização contra a violência de gênero para além do Dia Internacional pela Eliminação d a Violência contra as Mulheres, 25 de novembro, data do assassinato das Mariposas, três irmãs dominicadas que se opunham à ditadura no seu país.

O Dia Laranja integra a campanha do secretário-geral da ONU “UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, lançada em 2008 pelas Nações Unidas com o objetivo de dar visibilidade e aumentar a vontade política e os recursos designados a prevenir e responder à violência de gênero.

Fonte: confederacaonacionaladv.com.br

Deixe uma resposta